UOL Blog - Comentários

Você já tem o seu blog? Não?
Então crie o seu. É de graça.


[Sérgio Rossa]
O dia em que alguma empresa se associar a algum clube e permitir que esse clube jogue com a camisa "limpa" (só com o distintivo), essa empresa será inesquecível. E olhe que existem mil estratégias para a marca dela aparecer. Falta CRIATIVIDADE!

12/02/2011 21:09

RESPOSTA:
Pois é
Sergio, na Argentina o banco local fez uma ação desse tipo com o Racing, dizendo que estava "devolvendo" a camisa ao seu torcedor. É uma ação audaciosa, porque a exposição de mídia do patrocínio de uma única marca na camisa é muito forte. Mas de fato é questão de ter criatividade para explorar melhor as oportunidades. Um abraço, Erich


[Paulo barbério]
Caro Erich, muito bom o seu comentário. Alguns leitores parecem não entender a diferença que existe entre o que você disse sobre o Rivaldo e o que está dizendo hoje. Abraço.

12/02/2011 11:56

[Benedito Carneiro]
Uma perguntinha apenas:qual significado de "ineficácia dos pontuais"? Pontual significa o quê? Grato.Carneiro.

12/02/2011 11:32

RESPOSTA:
Patrocínio pontual
Benedito, o pontual é o patrocínio feito para apenas um jogo, em que a marca só aparece naquela partida. Um abraço, Erich


[Shiro] [Uol.com.br]
Eric. Será que as empresa de matérias esportivos não ta cansado as mundanca nas camiseta em jogos em jogos? Isso deixar o consumidor na hora da compra? As empresa não lucra com quantas mundanca no uniforme de jogos? E aí como fica? Abrs...

12/02/2011 00:04

RESPOSTA:
Camisa de jogo x camisa de venda
Shiro, a camisa de jogo, com os patrocínios pontuais, acabou deixando de ser igual à camisa de venda das empresas. Inclusive os próprios times têm recebido a camisa do patrocinador sem marca, já que a todo jogo vai mudando os patrocinadores... No final das contas, o impacto nas vendas é menor, mas o próprio retorno que um patrocinador fixo teria é perdido, já que a marca não fica na camisa. Um abraço, Erich


[AS]
A propaganda no Brasil agride o consumidor... Ela deveria sugerir, cativar como acontece nos USA. Mas será que o público brasileiro está preparado pra isso ? Acredito que não...

11/02/2011 19:29

[Junior]
Estou neste momento fazendo um curso de Branding em um MBA na Espanha. Os seus comentários estão perfeitos, Erich. Acrescentaria que as empresas ainda deixam de avaliar a consistência de ter suas marcas expostas aos lados de outras marcas que possuem atributos, imagem e público-alvo totalmente diferentes. Ter recall é muito pouco. Gerar awareness não é gerar consideração, e muito menos vendas. Há muito tempo já não dá pra discutir apenas recall e GRP em empresas, o que se discute é ROI. Abraço,

11/02/2011 18:43

[CARLOS]
O DATAFOLHA FEZ UMA PESQUISA COMO A TUA E O RESULTADO FOI O MESMO, CONTUDO EXISTE UMA PESQUISA QUE SE CHAMA ALGUMA COISA COMO TOP FIVE, OU LEMBRANÇA DE MARCAS COM PESSOAS ABORDADAS NA RUA, SOBRE LEMBRANÇAS DE COMERCIAIS DE TV. MEU AMIGO PELO SEU RACIOCINIO AS TVS VÃO FECHAR POIS PARTICIPEI DE TAIS PESQUISAS E A MAIORIA NÃO LEMBRA DE NADA.SÓ COM MUITO ESFORÇO E PACIÊNCIA DO PESQUISADOR.ESTAMOS FALANDO DE 20 MINUTOS CADA PESQUISA E NÃO DE UM MINUTO. TODOS TEM TEMPO PARA PENSAR E RESPONDER. SERÁ QUE AS EMPRESAS VÃO PARAR DE FAZER PROPAGANDA NA TV ? ALGUMA COISA FICA NO SUBCONSCIENTE DAS PESSOAS MESMO QUE ELAS NÃO PERCEBAM INSTANTANEAMENTE.TEM ENTREVISTADO QUE ESQUECE O NOME DOS PRESIDENCIAVEIS E VOCÊ TEM QUE ESTIMULAR COM UM CARTÃO, IMAGINE PRODUTOS EM GERAL.COM CERTEZA CADA VEZ QUE VEJO O NOME NEO QUIMICA GENERICOS SEI EM QUE LOCAL VI O ANUNCIO, UMA EMPRESA QUE IMAGINO NUNCA TER FEITO PROPAGANDA POIS JAMAIS TINHA OUVIDO FALAR NA EMPRESA .QUE BOZZANO É BOM ,É CLARO VEM O RONALDO JUNTO.

11/02/2011 18:05

[luis]
Erich, sei que nao tem nada a ver com esporte, mas acho que ocorreu uma situação parecida há alguns dias atras. Houve todo um alvoroço da mídia sobre a visita do Ashton Kutcher e da Demi Moore ao Brasil para desfilar no SPFW. Muitas matérias em blogs, sites, TVs e revistas. Agora fica a pergunta: ALGUEM SABE OU LEMBRA PARA QUAL GRIFE ELE DESFILOU???

11/02/2011 14:34

RESPOSTA:
É por aí
Meu caro, é mais ou menos isso que acontece. Agora, se essas celebridades tivessem sido contratadas também para estrelar campanhas publicitárias das marcas, aposto que o retorno seria outro... Um abraço, Erich


[C.Bolão]
Betting: Pergunte quem patrocinou a transmissão do jogo pela Globo. Você vai se surpreender e chegará à brilhante conclusão que anúncio em TV não dá retorno. Ou você é mal intencionado ou realmente não entende do ramo...

11/02/2011 13:38

RESPOSTA:
Opa!
Valeu pelas palavras, amigo. Já percebeu que as empresas hoje, cientes de que só a publicidade não resolve, tentam inserir sua publicidade em merchandising dentro de novela, jornal, programa? Acho que o único mal intencionado aqui é você... Um abraço, Erich


[Thiago]
Olha, não é exatamente isso que você está falando, mas eu comentei esses dias sobre o patrocínio oportunista da Visa no jogo do Rivaldo e em outros casos, naquele post sobre o assunto. Entendi perfeitamente seu lado, mas descordei totalmente. Sempre entro no blog, já vi aulas suas, mas meu comentário, que estava dividido em 3 partes, não foi publicado. Por que? Fiquei triste. Não gostaria que isso acontecesse novamente, até porque acho que esse é o intuito dos comentários. Se for pra não ter, que não se possa fazer. Não é pra publicar, só para ler...

11/02/2011 11:23

RESPOSTA:
Os comentários no blog
Fala, Thiago, tudo bom? Cara, eu infelizmente fui obrigado a moderar os comentários antes de publicar por conta da ignorância de muitas pessoas. Os comentários sobre o Rivaldo estão sendo ainda lidos, comentados e então publicados. São mais de 170 parados hoje na "fila de espera". Peço desculpas, mas ainda não consegui ler todos e responder. Um abraço, Erich


[Wilson Gomes]
Grande Eric. Sinceramente, nao acredito que os patrocinadores buscam a indentificacao do torcedor em uma partida. Acredito, que buscam sao os mais de 100mins que vao aparecer na Globo/Bandeirantes e em outras midias depois. Eu nao vi o jogo e nao lembraria tambem nos dois casos, mas que a FIAT e a UNIMED patrocinam o uniforme do Palmeiras. Do outro time tem tanto que sinceramente nem sei qual e' o time. Na minha opiniao, a culpa esta mais no times que nao tem a minima nocoa do que esta fazendo ou procurando novas fontes de receita. (a propria camisa por exemplo)..... Sinceramente da maneira que e' oportunista e acredito que barata... deve valer muito para o anunciante... Veja o caso da VISA, nao patrocina ninguem e vive colocando o VISA GO na camisa de jogos importantes... A discussao e' longa, mas o problema e' mais na raiz dos clubes, que nao tem ideia de como aumentar as receitas com marketing....

11/02/2011 10:52

RESPOSTA:
Será?
Wilson, acho que o problema não é só dos clubes. É de toda a estrutura. As empresas não obtêm retorno fazendo esse patrocínio. Prova disso é que você diz que a camisa do COrinthians é mais poluída que a do Palmeiras, só que no clássico tinham 8 marcas na camisa do Palmeiras e 6 na do COrinthians... O clube erra ao vender a camisa para aumentar a receita. Enquanto houver quem ache que isso é o melhor negócio, vai continuar a investir. Agora, por mais quantidade de minutos que tenham aparecido na Globo, certamente essas marcas poderiam causar mais impacto de outra forma. Um abraço, Erich


[Osvaldo]
Como você mesmo já comentou por aqui: "O uniforme fica como uma colcha de retalhos". A marca do clube fica em segundo plano. Quanto aos patrocinadores, os mesmos ainda não aprederam a fazer um trabalho profundo no esporte. Querem apenas a exposição da marca na mídia.

11/02/2011 08:03

[Glaucio]
Um bom exemplo disso é o Flamengo. Pelo fato de a Petrobras ter patrocinado o clube durante 24 anos, até hoje as pessoas associam as duas marcas. Não há dinheiro que pague essa associação imediata. Agora, essa chuva de patrocinios que aparecem nas camisas de Corinthians e Palmeiras, por exemplo, realmente, deixam o uniforme com um terrível aspecto.

11/02/2011 07:19

[Alan Ribeiro]
Sinceramente não entendo os pontos de vista do Sr. Erich. Faz menos de uma semana vimos aqui publicada uma crítica à atitude de Rivaldo, o qual foi tachado de "antimarqueteiro", pelo fato de ter levantado sua camisa, na comemoração do gol, em direçao ao rosto, escondendo assim pela "eternidade" de 5 segundos a marca do patrocinador (inclusive, na publicação dessa matéria, fiz uma crítica ao assunto abordado, mas não tive o privilégio de vê-la publicada) . Agora o mesmo blogueiro vem com essa nova visão de que essas mesmas marquinhas nos uniformes dos jogadores, são borrões invisíveis aos olhos do torcedor (consumidor) e que os patrocinadores devem ser mais cuidadosos com suas marcas. Afinal de contas, depois desse emaranhado de contradições, dá pra explicar qual o seu real ponto de vista? Alan Ribeiro Miami / USA

10/02/2011 23:00

RESPOSTA:
O mesmo pensamento
Alan, sigo com o mesmo pensamento. Patrocínio de camisa tem de ser o produto mais valioso a ser negociado pelo clube. O patrocinador tem de pagar muito para ter a honra de colocar sua marca na camisa de um time e faturar mais com isso. Já o atleta tem de saber da importância que isso representa para o clube e não esconder a marca quando faz um gol, que é o momento em que o atleta mais aparece durante uma partida. Só assim aumentará o retorno das marcas, dos clubes e dos atletas com o futebol. Um abraço, Erich


[Saulo Raposo]
Erich, vale lembrar que além disso, esse tipo de patrocínio não vai sair em nenhuma camisa a venda nas lojas, o que ao meu ver, acaba sendo uma parte importante da divulgação, já que muitas pessoas vão comprar e usar a camisa com a logomarca da empresa durante muitos anos.

10/02/2011 20:55

[Leandro Dias]
Fiz um um pequeno trabalho na faculdade no início do ano passado que envolvia a lembrança de marcas que patrocinavam eventos ou equipes esportivas. Mesmo com todo o investimento da Hypermarcas naquele momento, principalmente com sua marca Neo Química, seu recall foi quase nulo. Muitas pessoas, em uma pesquisa quali, nem mesmo se lembraram com confiança de alguma marca, chutando algumas como Coca-Cola e McDonald's, por terem a ideia de que são marcas que sempre estão associadas a algum evento. Mesmo com a Copa se aproximando, a CBF tendo 11 patrocinadores e propagandas de "colaboradores" da Fifa pipocando a todo momento na TV, o resultado obtido por essas marcas também foram pífios. O grande problema do patrocínio esportivo no Brasil, que você mesmo mencionou, é a ativação. As empresas preferem a exposição de marcas para aumentar o valor de suas ações, enquanto que com uma boa ativação, aumentariam seus lucros E o valor de suas ações, mas vai saber o que se passa né...

10/02/2011 19:01

[Felipe Cardoso Barbosa] [www.v13mkt.blogspot.com]
Esse "erro" é comum mesmo ao anunciar nos meios convencionais. Se sabe que a marca é mais lembrada quando ao anunciar tem um envolvimento com o programa em questão (na TV). O mesmo deve valer ao patrocinar um clube. As marcas mais lembradas são aquelas que tiveram um envolvimento no longo prazo com o clube! Participaram da vida do clube e não simplesmente colocaram lá seu logo. Um exemplo clássico do marketing no futebol é a Parmalat ainda ser relacionada como uma marca ligada ao esporte mesmo anos depois de ter saído do Palmeiras e outros clubes. Mas a Parmalat construiu uma história de envolvimento com o esporte e o clube que patrocinou. Muito bom o texto!

10/02/2011 16:52

[Bruno Mantovani] [www.pilotoons.com.br]
O grande problema é que as agências de marketing esportivo engatinham no Brasil.

10/02/2011 16:10

RESPOSTA:
Será?
Bruno, será que é esse o problema? Ou as próprias empresas não possuem uma estratégia definida para o esporte? Muitas vezes esses acordos não passam perto de gente especializada. Um abraço, Erich



Deixe seu comentário
 
Nome 
E-mail *
Site/Blog 
Comentário:

 Caracteres restantes : 1000

Atenção: Conheça as regras de uso do blog.



[fechar a janela]