UOL Blog - Comentários

Você já tem o seu blog? Não?
Então crie o seu. É de graça.


[James]
Prefiro o formato europel. Será que nao é um dos motivos que eles conseguem manter atletas de alto nível e aqui nao ? Pensa bem, quem se importa com times pequenos, qual é o motivo que um time grande como Corinthians e Flamengo nao tem nem o dobro em relação ao mogi mirim por exemplo atualmente..hein hein

23/02/2011 19:24

[tricoloco]
Cara, que lucidez. Parabéns

23/02/2011 19:16

[Aretha]
(corrigido) Indo ao assunto,nao sei ate onde vai essa hipocrisia da Globo, com suas noticias anti-monopolistas que vai de Microsoft a cartel de posto de gasolina. Acredito que deveriam estipular um valor unico as emisoras e transmite quem pagar, isto sim seria livre concorrecia. Que tenha a melhor audiencia o melhor narrador e por ai vai. Lembro que quando crianca meu pai e meu tio divergiam por um querer assistir tal jogo com o Silvio Luis e o outro preferir o Galvao. Um valor sem privilegios e as emisoras que briguem pra oferecer melhor qualidade que o concorrente. Por conta deste monopolio somos obrigados a ver jogos quando a Globo quer. Quando o cliente tem razao???

23/02/2011 18:52

[Aretha]
Erich, por que vc nunca libera meus posts??? Nunca te critiquei ou usei palavras indevidas. Indo ao assunto,nao seria ate onde vai essa hipocrisia da Globo, com suas noticias anti-monopolistas que vai de Microsoft a cartel de posto de gasolina. Acredito que deveriam estipular um valor unico as emisoras e transmite quem pagar, isto sim seria livre concorrecia. Que tenha a melhor audiencia o melhor narrador e por ai vai. Lembro que quando crianca meu pai divergiam por um querer assistir tal jogo com o Silvio Luis e o outro preferir o Galvao. Um valor sem privilegios e as emisoras que brigue pra oferecer melhor qualidade que o concorrente. Por conta deste monopolio somos obrigados a ver jogos quando a Globo quer. Quando o cliente tem razao???

23/02/2011 18:45

[Paulo Barbério]
Caro Erich, muito bom seu texto. As pessoas tem que entender que o futebol, antes de mais nada , é um esporte. Abraço.

23/02/2011 18:36

[Carlos Alberto]
1 - na NFL joga-se 16 jogos por temporada, se voce quiser participar deve comprar uma franquia (sem acesso nem rebaixamento), o bolo é repartido por muito menos times, não tem time grande nem pequeno, são sempre os mesmos, e com menos jogos o valor de cada um aumenta. 2 - os times são dispersos geograficamente, não há concentração deles em uma única area, logo a torcida de cada time é maior naquela localidade, aqui são times quase sempre concentrados nas capitais 3 - Na verdade há mais de uma,liga (divisoes) centralizada na mesma liga central. 4 - conseguem llimitar os salarios porque não há outro lugar no mundo que empregue jogadores de "Football" 5 - ou seja estamos comparando cebolas com tomates, pois "football", não é futebol, futebol é "soccer", que lá também é tratado de meneira diferente. 6 - então, para valer sua ideia, deveriamos antes de tudo eliminar times deficitários e fazer campeonatos com menor numero de times tanto em numero total quanto regional (quem se habilita ?)

23/02/2011 17:12

[Nicolau de Cerqueira cesar]
Erick,teoricamente é muito bonito esta "socialização" , mas em todos os setores tem que haver os atores principais e os coadjuvantes. Seria justo uma escala de ganhos em 03 patamares , pois é impensável , com todo respeito que um Sport ou Atletico-PR ganhem o mesmo que Corinthians , Fla, Vasco, Palmeiras etc.Temos que considerar o poder aquisitivo e população.Não adiante ter em Curitiba um poder aquisitivo alto , mas com uma gama de consumidores muito menor que o Rio de Janeiro. So como exemplo, pois acho Curitiba uma das melhores cidades em qualidade de vida. Exemplo claro é São Caetano do Sul que é uma bela cidade e o time leva 300 torcedores num jogo.Para a TV o que vale mais , um São Caetano x Santo André ou Corinthians x Santo André? Quanto a TV Record não tem capacidade e seu interesse é sómente a questão de "vender" o peixe para seus "fiéis" seguidores. Não se preocupa com patrocínio de empresas , pois foca mais nos empregados destas empresas para receber contribuições.

23/02/2011 17:01

[Gabriel]
Erich, em todos os campeonatos as negociações são por clube ou só na Espanha?

23/02/2011 17:01

[Alvaro]
Eric, vc me fez mudar de ideia!!Antes tinha a ideia de que o time mandante deveria poder escolher seus contratos, mas lendo seu post entendi e vi que vc tem razão, nós não usamos consumimos equipe A ou B ou C e sim , FUTEBOL.e a melhor forma e essa que vc colocou Brilhantemente!Um time não vive sem o seu rival(não inimigo)!!

23/02/2011 16:59

[caetano]
Erich,o monopólio de transmissão da Globo não é bom. Acho que deveria ser livre negociação dos clubes com mais de uma emissora. Assim se eu não quero ver o jogo de uma eu vejo o da outra, isso ampliaria o interesse pelo futebol. E as cotas dos clubes seriam de acordo com o tamanho de suas torcidas e performances (campeão do ano anterior,melhor espetáculo ou outro critério de avaliação)ganharia um X a mais. E mais por não querer mudar a grade de programação a Globo, respaldada no monopólio, alterou o horário dos jogos noturnos das 21 p/ 22h penalisando o torcedor que vai ao estádio, clubes e todos que vivem do espetaculo, além de onerar o transporte público com mais carga horaria. Monopólio nunca foi bom em nenhuma área da vida meu caro Erich. Parabéns pelo Blog.

23/02/2011 16:46

[Renato]
Falando em sonho... No Futebol Americano a coisa eh tao focada no todo que ate o drafting (aquisicao de jogadores) eh feito com isso em mente. O time atual campeao do Super Bowl eh o ultimo a ter o direito de escolher os jogadores disponiveis no mercado para a proxima temporada. Ou seja, nao existe monopolio de craques por parte de quem tem mais dinheiro. A receita gerada pela liga eh dividida POR IGUAL entre TODOS os times de forma a manter o equilibrio na competicao. Erich, voce esta certissimo quando fala do bem estar geral do todo no futebol. Transmissoes de TV e ate a contratacao de jogadores deveria ser regulamentada de forma a proteger o todo e nao aqueles com maior poder aquisitivo somente. Ja imaginaram como seria a Copa do Brasil, por exemplo, onde TODOS os participantes tivessem chances reais de serem campeoes? Enquanto isso vamos no embalo da cancao que diz: "...da forca da grana que ergue e destroi coisas belas / eh que Narciso acha feio oque nao eh espelho..."

23/02/2011 16:41

[Thiago Cruz]
Futebol não é instituição de caridade. Futebol é uma disputa entre clubes, assim como empresas de um determinado ramo disputam entre si. Cada um que defenda o seu e sobreviva se puder.

23/02/2011 16:20

[Arthur ]
Erich é o blogueiro, na minha opinião, que tem os insights mais interessantes sobre o esporte no país. Concordo plenamente com as colocações e torço para que dirigentes mudem suas mentalidade. Mas infelizmente ainda estamos distante de um cenário esportivo nacional mais sério e profissional já que "jogos de soma zero" ainda são o único jogo que nossos dirigentes políticos conseguem disputar. Quem perde são todos e quem ganha são poucos.

23/02/2011 16:11

[Vitor]
Erich, vc diz: "Por lá, até então, o direito de arena é do clube mandante da partida. Isso permite, por exemplo, que Real Madrid e Barcelona façam contratos na casa das centenas de milhões de euros para ceder os direitos de suas partidas em casa, enquanto os demais times conseguem acordos com menos de 10% desse valor." Mas e se um clube pequeno for mandante de um jogo contra um clube grande, como real madrid, ele não consegue tanto dinheiro quanto o time grande consegue quando ele é mandante, afinal só muda o mandante?

23/02/2011 16:04

[Rogério]
Parabéns pelo post!!! até q enfim consegui ler alguma coisa q faça sentido sobre esse racha no futebol (política) brasileiro. Pra mim, parece óbvio q a venda deve ser em grupo (todos). Agora é necessário encontrar a fórmula ideal pq se realmente dois clubes ganharem muito mais grana q os outros não haverá mais competição. E o futebol vai pras cucuias!!! Abraço

23/02/2011 15:58

[Trocoletti]
Erich, Infelizmente, enquanto tivermos presidentes torcedores como o Sr. Andrez Sanches, apoiado por gente da pior qualidade. É isso que vamos ter.... O torcedor Corinthiano que não se iluda, não estão querendo o melhor para o Clube.. Abram os olhos.. E digo mais, por mais idiota que sejam algumas atitudes do JJ. Uma coisa ele esta certo... Foi o unico a peitar a CBF que não aceita ser contrariada e pensa apenas em si mesma, não no Futebol e principalmente no público que o prestigia.. Logo, esse papo de defender os interesses do público não passa de retaliação politica e interesses mais do que pessoais envolvidos. Como disse tele e Muricy. "Voces não sabem nem 10% do que acontece nos bastidores do Futebol" Infelizmente é assim... Caracter e ética não são presentes.. Trocoletti

23/02/2011 15:55

[Rodrigo Baço] [@rodrigobaco]
Erich, pela ótica de um torcedor de um dos clubes dissidentes, vejo que para eles esse rompimento com o C13 pode e deve ser muito vantajoso. Representam mais 80% do "capital midiático" do Brasil. O Corinthians responde por mais de 50% do ibope paulista (chutando baixo) e o Rio, como diria R10, é o Rio. Espero que essa debandada seja geral e que um modelo justo mas não igualitário seja implantado por que não concordo que Corinthians e Flamengo, que monopolizam as transmissões, ganhem valores próximos de times de menor apelo.

23/02/2011 15:53

[Caio Calazans] [http://caixapretafc.wordpress.com]
Exato Erich vc tocou no cerne da questão. Aqui, clubes se vêem como inimigos e adversários dentro e fora de campo. Aquele papo de clube co-irmão só vai até a página 3. Convido vc a conhecer meu blog, sou estudante de jornalismo: http://caixapretafc.wordpress.com

23/02/2011 15:52

[Leonardo]
Erich, me tire uma dúvida... Se o SPFC jogar no morumbi o jogo não será televisionado para SP? O Estado de SP não poderá mais ver jogos do morumbi na tv? Abraço

23/02/2011 15:38

[Gleiton]
Erich: Isso não é uma espécie de socialismo no mundo capitalista? Ou seja, os clubes que se esforçam, contratam mais, e acumulam maior poder de barganha são obrigados a dividir o que ganharam com seu trabalho ao longo dos anos com clubes que não estão nem aí, não se preocupam com o torcedor nem investem em marketing. Acho que os clubes como Corinthians estão certo porque estão cansados de suportar outros clubes menores nas costas. Acho isso bom para o futuro. Se teremos um campeonato onde dois ou três serão sempre candidatos ao título é porque a má administração dos pequenos os afundaram. Vejam o que o senhor Beluzzo fez ao Palmeiras, exemplo de mal administrador. O preço precisa ser pago. Essa é minha opinião sobre esse assunto. Obrigado.

23/02/2011 15:27

[Evair da Turiassu]
Rárárá. Acho ótima essa idéia de direito de Arena. Principalmente porque o Corinthians não tem estádio!!!!!

23/02/2011 15:26

[Raphael]
Rapidinho... o certo deveria ser o time poder vender os direitos de transmissão apenas para o seu estado de origem, ou seja, o corinthians é de São Paulo e poderia vender os direitos de transmissão de seus jogos para o estado de São Paulo. Se jogasse corinthians e sport recife, o corinthians venderia os direitos de transmissão para o estado de São Paulo e o Sport para o estado de Pernambuco. Fora desses estados a divisão do bolo seria igual. Isso seria mais justo!!!

23/02/2011 15:14

[Rogerio]
Esta informação da UE referir-se ao Brasil como modelo é novidade total para mim. Muito legal saber, pelo que entendi um time não pode de forma alguma negociar sozinho. Isso muda tudo!

23/02/2011 15:12

[Sergio Galvao]
Nao concordo com nenhuma palavra escrita aqui. A grande Briga não é so pelo valor o qual eu acho que vai acabar muito menor do que esperado anteriormente a cizao. E sim por motivos politicos, e principalmente de exposicao do produto futebol. O interesse da populacao tende a cair assim como o consumo do produto futebol se o mesmo nao tiver o mesmo poder de exibicao entao convenhamos essa lenga-lenga de ajudar times nao é de fato justa.

23/02/2011 15:11

[André]
É triste quando um blogueiro só publica comentários que reflitam o seu ponto de vista...

23/02/2011 15:07

[Ralph Kohler]
Prezado Erich Beting Sempre acompanho seus posts para melhor compreender questões que envolvem o gerenciamento de clubes, no que tange ao marketing esportivo e suas possibilidades em gerar receitas para os mesmos. Costumeiramente me persuado e inclino-me a concordar com boa parcela dos argumentos defendidos por ti.No entanto , no que tange à legitimidade do principio de livre concorrência, penso ser mais do que legítimo, o direito de clubes buscarem negociações individuais para fins de transmissão de seus jogos.Qual seria a ilegitimidade de um clube buscar melhores acordos, levando-se em conta o poder midiático que possue frente aos outros? A marca de um determinado clube, fora construída a fruto de muitas variaveis ao longo de muitos anos. Se um determinado clube a, possue devido a sua história um apelo comercial maior do que o B, porque ele deve se abdicar de buscar melhores cotas frente a este? conto com seus esclarecimentos. Grato

23/02/2011 15:05

[Raul Neto]
Perfeito comentário. Não tinha lido ainda análise tão lúcida sobre a matéria. Parabéns, é exatamente o que penso a respeito. Abraço do leitor.

23/02/2011 15:03

[Vitor Alves]
Primeiramente eu acho que o modelo de gestão esportiva do Brasil é ridiculo, na minha opinião deveria ser igual o que acontece na Premier League, o que é nada menos, o melhor campeonato de futebol do mundo, lá os direitos é divididos por igual para todos os times e mesmo assim o campeonato ainda é "desleal", monta o melhor time o mais rico, o que tem o melhor marketing, lá quem banca time é torcedor, no Brasil quem banca e patrocínio e direitos de TV, aqui as ações de marketing dos times é para atrair patrocínio, na Europa ou nos USA e para atrair torcedor, o Cowboys na NFL fatura nada menos que 17 milhões de dólares só com a bilheteria em seus jogos, na Europa é possível comprar papai noel com as cores do clube, toalha, jogo de mesa, jogos de talheres, bolinhas para árvore de natal, balas, chicletes, pratos, copos e uma infinidade de produtos que fazem com que os torcedores banquem o time no Brasil não máximo se consegue comprar é uma camiseta que nunca de uma temporada a outra.

23/02/2011 14:55

[Celso]
Voces só estão esquecendo uma coisa. A concorrencia gerada com isso é o que move o mundo capitalista, as coisas se acertam. Quanto ao modelo americano. Nenhum time americano tem categoria de base, como um clube como SPFC, CRF, Cruzeiro etc, repõe uma estrutura melhor que te outros times, ja que ganham quase a mesma coisa.

23/02/2011 14:42

[Everton Dias]
O Time da Marginal S/Nº tá cheio de dívidas milionárias e está desesperado para ganhar mais que os outros, só que ele deve para o Clube dos 13 e vai ter que pagar para sair ou será arrendado. Escute o que eu to dizendo, vai ser arrendado.

23/02/2011 14:38

[Jonathan]
Não entendo muito bem esse tipo de pensamento. Tento ver como camisetas sendo vendidas em lojas. Vc tem lá, 20 camisetas vendidas q são patrocinadas pela Nike, 10 do Corinthians e 10 do Flamengo. Pq q eu tenho q dar dinheiro dessas camisetas ao São Paulo? Pra mim, a transmissão de jogos é a mesma coisa. Eu não pago TV Fechada nem ingresso para assistir o São Caetano, mas sim para ver o COrinthians jogar, independente do time adversário. Se eu pudesse, só compraria jogos do Corinthians, se quisessem colocar uma tarja preta no nome do outro time, pra mim n teria problema. Não é clubismo, to tentando entender o seu pensamento. Por mais que pareça racional, pq eu iria querer dar uma % da camiseta do Corinthians para outro time, independente de qual for? Pra mim parece a mesma coisa com cotas de TV. O clube gasta mais com marketing pra aparecer mais para seu torcedor, mas na hora de ter o retorno disso, em relação à cotas, tem que repartir a fatia com outros?

23/02/2011 14:36

[M.Cesar]
A pena é que parece que o C13 quer continue tudo do mesmo jeito, essa coisa de não passar partida pro proprio estado não tem cabimento. Como eu vou me deslocar 400 km pra ver um jogo na capital toda semana? Nos EUA as afiliadas de FOX e CBS transmitem os jogos para as suas cidades/regiões, ou seja com excessão dos jogos de faixa nobre da NBC, ESPN, e NFLNetwork, todos os outros são transmitidos para o publico de interesse. Aqui somos reféns do PPV. Sei que todas as nossas afiliadas não tem condições de transmitir um jogo, mas é algo pra se pensar. Então, por que o C13 não vende pra 2 ou 3 emissoras abertas? Ex.: A globo fica com a faixa principal nacional do domingo a tarde, a band com o sabado e a record com a quarta. Acho a exclusividade algo covarde. Significa que você tem medo de que o futebol de quarta às 19:30 na "record" vença a sua novela.

23/02/2011 14:31

[neto]
Erich. Você acha possível algo ético proveniente de Andrés e de Teixeira?

23/02/2011 14:29

[Douglas Polo]
Venda coletiva é algo completamente contra o livre mercado. Quem vale mais tem de ganhar mais.

23/02/2011 14:12

[Marcelo]
Excelente texto. Gostaria apenas de complementar que os campeonatos esportivos norte-americanos também não adotam o regulamento de pontos corridos. Isso, certamente, é determinante para o equilíbrio, uma vez que em um campeonato de longo prazo fica praticamente impossível a uma equipe de menor poder aquisitivo competir com aqueles que têm mais recursos. Eu não acho razoável campeonatos com regulamentos malucos, como os brasileiros de 1993 e 2000, mas poderia ser feito um regulamento de turno e returno em que os 8 primeiros se enfrentam em sistema de play-offs, como aconteceram nas disputas de 1998 e 1999. Desta forma, há um interesse grande em ser o primeiro colocado na classificação e, ao mesmo tempo, é dada maior possibilidade aos menores de conquistar o título (isso sem contar a emoção desses jogos, que deixam partidas de pontos corridos no chinelo).

23/02/2011 14:09

[Luck]
Seguindo esse princípio, quando o Corinthians joga no Morumbi, o São Paulo deveria ceder metado do espaço e da renda? Ou a igualdade só vale para a TV? Se o São Paulo pode limitar torcedores do Corinthians no Morumbi, o Corinthians tem todo o direito de pleitear valores maiores na TV, já que é o time mais assistido.

23/02/2011 14:07

[Thiago Valente] [http://resenhadothiago.blogspot.com]
Esclarecedor seu texto, deixa bem claro o motivo do futebol brasileiro ainda apresentar um certo equilibrio. O modelo americano deve ser um parametro sim, claro que remodelado para a realidade brasileira, a Europa não tem muita comparação para nós, por exemplo, os grandes ingleses possuem donos com fortunas vindas sabe-se lá de onde e como!! Aqui isso não acontece, e os clubes, até pelo amadorismo, dependem muito da grana da TV. Essa negociação isolada de alguns poderá criar uma desigualdade absurda entra os clubes. Só teremos perspectivas melhores quando profissionalizarmos a gestão dos clubes e estes arrecadarem mais com outras frentes, que não seja a TV.

23/02/2011 13:56

[ricardo]
Na minha opinião, as cotas de TV deveriam ser divididas entre todos os participantes do torneio em questão de forma igual, pois um campeonato não se faz apenas de 1 time. O egoísta que fique sozinho.

23/02/2011 13:54

[Ana Elisa Melo]
Boa Tarde Erich! De tudo o que li, até agora, a respeito do clube dos 13, são os seus comentários a coisa mais inteligente. E como é importante demonstrar a força da união das entidades...quando são sérias...evidentemente. Pena que há tantos interesses individuais, acima dos coletivos, do futebol! Parabéns! Abraço

23/02/2011 13:38

[bruno]
Parabéns pelo post, foi o primeiro que esclareceu como as coisas funcionam e os prós e contras. Outros blogs não tocam no assunto por medo de represália da TV. Mas fica difícil formar uma opinião. De um lado, é normal que times de maior audiência queiram receber mais por isso. De outro, todos têm que saber que a desunião diminui o poder de barganha individual, principalmente figurando o direito de arena. Não sou fã do modelo norte-americano. Cria ilusão. Não adianta ficar na fila 20 anos a espera de um título. Mas também não sou fã de um monopólio de 2 ou 3 times. Espero que no Brasil continuemos tendo espaço para os 12 grandes times. Não mais que isso, não menos que isso. SRN

23/02/2011 12:59

[Luis Rogerio Bartolomei]
Erich, boa tarde. estou acompanhando este embrolio das transmissões a um tempo, ocorre que agora chegou o dia D, será. Li na imprensa que a liberação do Cade e não da exclusividade para o aglomerado GLOBO, ocorre que se qualquer outra emissora oferecer 10% acima desta emissora ela leva (TV ABERTA), ou seja a situação ta bem complicada, sem falar nas transmissões para outros estados a partir do ano que vem. Bom afinal qual e o cronograma deste embrolio. Hoje 4ª feira (23/02) será aberto os envelopes tanto para TV aberta como pata TV fechada e Internet e depois será que vai ter recursos, e quanto a estes times: Corinthians e os 4 grandes do Rio, que querem negociar a parte.... e a proposta de outra emissora de abrir a imagem pegando todos patrocionadores e não focando só no rosto do jogador, e como devemos levar em conta não so o R$$$$$, o que os times podem ganhar com a Emissora A, ou a B ou mesmo com a C. Aguardo sua informação. Luis Rogerio

23/02/2011 12:31

[Leandro Dias]
Acho que o modelo americano nunca vai pegar por aqui por dois motivos Erich. Primeiro que a mentalidade do povo brasileiro é muito diferente. Aqui cada um protege o seu, passando por cima de qualquer coisa, a ideia de coletividade entre clubes nem passa pela cabeça de dirigentes, que por sinal, são em sua grande maioria torcedores em um cargo executivo, são completamente despreparados e agem com muito amadorismo, não tendo noção alguma de marketing esportivo, por exemplo. O segundo fator, que também passa pelos dirigentes, é que eles não conseguem estabelecer uma relação entre a gestão de esportes diferentes, futebol e basquete, por exemplo. Dessa forma, tentam importar um modelo europeu, que tem o futebol mais rico do mundo, mas não necessariamente o melhor modelo de gestão esportiva, basta ver as inúmeras denúncias de esquemas de apostas e lavagem de dinheiro no futebol europeu. Daí chego a uma conclusão: ou mudamos nossos dirigentes, ou continuaremos na mesma, por um longo tempo.

23/02/2011 11:49

[Marcos Lavieri]
Erich, seria muito sonho um sistema em que metade da grana seria dividida por igual e a outra metade sendo dividida com base no desempenho médio das últimas "x" temporadas? Isso ajudaria os pequenos a se reforçarem, aumentando o equilíbrio

23/02/2011 11:28

RESPOSTA:
Sonho nosso
Marcos, é um sonho de quem pensa o futebol racionalmente. Isso deixaria muito mais justo o sistema todo de divisão de receitas do futebol. O problema é o dirigente que ganha muito aceitar correr o risco de ganhar pouco... Um abraço, Erich


[Luciano Klostermann] [admesportiva.blogspot.com]
Erich, sou grande fã do seu blog. Me interesso muito pelo assunto também. Este último post seu está perfeito. Claro e direto sobre a sua opinião. Acredito também que interesses individuais aqui no Brasil com o nosso direito de arena não serão tão eficazes para dos grandes clubes como é na Europa. Atlético-PR tentou fazer isso no campeonato paranaense alguns anos atrás, porém sem sucesso, pois depende das duas equipes aceitarem a ttransmissão dos jogos. Se apenas os clubes do Rio e o Corinthians se desmembrarem terão pouca força perante os outros 15 clubes, logo terão que dividir uma considerável fatia dos ganhos com transmissão. O fato é que a briga é política. Muitos clubes tem receio da Record entrando na jogada, pois não tem muita experiência em transmissões esportivas, e também na queda de audiência que viria. É uma briga entre o dinheiro da TV contra o dinheiro dos patrocinadores. Um abraço!

23/02/2011 11:27


Deixe seu comentário
 
Nome 
E-mail *
Site/Blog 
Comentário:

 Caracteres restantes : 1000

Atenção: Conheça as regras de uso do blog.



[fechar a janela]